sábado, 27 de setembro de 2008

4 dia. Marabá a Pacajá

É a festa do povo da floresta, a beira da rodovia
Caldo de pé de galinha

Quando saí de Marabá falaram pra mim expressamente: Nao pare pra ninguem na estrada e cuidado que as vezes tem falsas blitz.
Quando vi essa blitz pensei: e agora?Paro, nao paro, volto? Vim vindo e quando cheguei perto tudo bem. Quando falei pro Tenente sobre a possibilidade de nao parar ele falou:
-Nós iamos te moer na bala!
É isso aí Capitao Nascimento,missao dada é missao cumprida .
Lá vem a poeira, chama a Ivete Sangalo.

Essa é a transamazonica

Aqui começa a parte de terra
A saída de Marabá atrasa um pouco pela troca de pneu para terra e para conhecer a cidade de dia. Ali conheço O Capeta de Imperatriz que junto com Zete sua mulher estão rodando de moto pela região.Em quanto proseávamos um pouco e tomávamos uma coca ele confessou que pensava em ir em Pacajá fazer a cobrança de uns cheques, mas que pela distancia deixaria. Pensei comigo: “Taí uma coisa que eu podia fazer. Ir la cobrar os cheques pro cara. Num lugar onde se mata por quase nada seria uma experiência bacana “. Qualquer coisa eu quero ser cremado hein gente.
Enquanto abasteço escuto num grande trio elétrico o inicio de uma passeata pela cidade por uma candidata (Mara, eu acho).
O locutor gritava entusiasmado:
-Em 05 de outubro vote M de Mara! A galera gritava alucinada.
-M de Marabá! Novos gritos. E de repente ele grita:
- M de homem! Nisso sai um grito meio chocho da galera, algumas risadas e alguém grita:
-Vai pra escola seu burro!
Sem perder o rebolado o locutor grita meio rindo amarelo:
- É man gente! É man gente!
Deixo a campanha para traz e já saindo de Marabá pego a Transamazônica de chão de terra. Ali começa a rodovia que a gente conhece. Muita poeira, a vegetação vai mudando e as vilas diminuindo. Muito bom esse trecho até Pacajá . Aliás como toda a estrada até aqui em ótimo estado de conservação salvo alguns trechos que requerem bastante cuidado por causa de cavas, pontas de pedras e até os primeiros contatos com a lama.
Chego em Pacajá onde nesta noite rola uma grande seresta com cantores, povo dançando, motos circulando no meio do povo, leilão de galinhas, churrasco é uma grande festa ali na beira da rodovia, quase no meio.

3 comentários:

Ed Cotait disse...

Pô, Vantuir!
As coisas estão rolando muito legal, pra voce, não?
Me diz uma coisa, a quanto tempo voce não cruza com motociclistas de capacete?? heheeh (tirando Marabá e Altamira, cidades maiores)

Um abraço e, tá um show!!!!

DO POLO SUL AO POLO NORTE NUMA V STROM 1000 disse...

Querido amigo Vantuir, lindas fotos, excelentes relatos...sinto bem a tua vibração de felicidade....tanto que mesmo distante, vibro também....Parabens amigo, sei muito bem o que se sente, desbravando sozinho, estradas e caminhos solitarios.
C cuida e vai enfrente nas asas do teu sonho

gadelha disse...

Vantuir, soube do seu blog lá na comunidade "Grandes viagens de moto".

Boa sorte nessas estradas malucas!
Acabei de voltar de Santarém....... de avião. hahahahaha
Minha esposa está morando lá, qualquer coisa dá um grito que a gente ajuda no que puder! gadelha@ig.com.br
Abraço!