domingo, 5 de outubro de 2008

13 dia (Sex 03/10) Humaitá/Manaus

Era quatro horas da manha quando entra alguém no alojamento aos berros: -Alvorada, alvorada, alvorada! Alvorada Mattos, Alvorada Ferreira, Alvorada Santos. Faltou apenas um: Alvorada Boppré. A primeira coisa que me veio à cabeça foi: -É guerra maluco. To morto, não sei nem atirar. Ali mesmo o soldado já brinca com um companheiro: -Godoy você não comeu o besouro! Se frouxo. Todos riem e em seguida num som muito alto começa a música sertaneja: “Hoje eu vou sair de casa, vou abrir as asas vou e apaixonar” Acho que Zezé di Camargo. Pensei novamente: - Caraca!! Essa gurizada ai tudo na faixa de 20 anos, hormônio saltando pelo “zóio” ficam até seis meses na floresta, chega a ser perigoso. Ainda bem que dormi de calça de trilha e bem amarrada. Havia no acampamento um Sargento também. Ali ela não tinha nenhuma regalia por ser mulher. Até o banheiro é para todos. Não há banheiro especial pra ela. Chega a ser perigoso pra coitada, imagina.
Uma recomendaçao expresa do comandante foi que dormisse de meia. Havia morcegos no alojamento que vinham e chupavam o sangue no pé enxarcando o lençol de sangue. Os primeiros casos antes de saber que eram morcegos eram uma gosação geral quando olhavam a cama do soldado toda suja de sangue e todos diziam que o soldado tinha virado mocinha porque tinha "descido". Na noite anterior conversei muito com a gurizada. São na sua maioria de Boa Vista, tem alguns de Manaus. Ficam até seis meses na floresta construindo estrada. Com isso ganham o direito ao arejamento, já que tem direito a doze dias de descanso por mês que não são pegos ao final dos seis meses na floresta vão pra casa e tiram setenta e dois dias em casa. Falo com um Sargento que diz que geralmente quando vá embora pega malária e ficam uns dias até recuperar. Ali ele explica sua estratégia. Ganha em torno de R$ 2.000,00 por mês e não tem como gastar com nada. Ao fim de cinco meses ele já tinha guardado R$ 9.000,00. Trabalhar na construção de estrada num local extremamente úmido como a floresta amazônica é quase um trabalho de Sísifo, personagem da mitologia grega que tentou enganar a morte e foi condenado pelos Deuses a empurrar uma pedra até o alto de uma colina que ele nunca atinge, e a pedra rola até a base e ele tem que começar de novo. Assim é o trabalho deles. A umidade da noite, sem chuva, já estraga o trabalho deles e pra isso eles usam umas lonas de oito metros por cem de comprimento. Ao final de cada dia quatro lonas dessas são usadas para cobrir o trabalho feito na estrada. A logística também é complicadíssima, pra ser uma idéia o seixo usado na estrada vem de Manaus em grandes balsas por rio. Ali é retirado de máquinas e levado de caçambas até os locais de trabalho. Na noite anterior era preciso lavar os pratos e talheres, algo que um soldado não permitiu que eu fizesse, fazendo ele mesmo o serviço. Ajudaram-me a levar a bagagem para o alojamento e se preocuparam quando as quatro e trinta, após um ótimo café, começou a chover torrencialmente. Sai de lá neste horário embaixo de muita chuva. Por sorte a pedaço pior da estrada já havia ficado para trás e para frente era na maioria um bom asfalto que me conduziu até as duas balsas seguintes em direção a Manaus. Aqueles meninos ali no meio do nada também faziam parte do povo da floresta e como todo esse povo até o momento me trataram como um grande amigo de longa data. As margens da Rodovia Fantasma somente a solidariedade para seguir em frente e fazer valer a pena. Dali sigo para chegar em Manaus por volta das onze da manha, pegar um hotel, tomar um banho e dormir até as 20:00

Ao fundo o Teatro de Manaus. Um dos cinco mais bonito do Mundo.
Show ao vivo na praça

Belíssimas igrejas.
O transporte de Manaus

Povo evoluidíssimo. Todos preferem Yamaha.
Casas flutuandes igual a Amsterdam, ou quase.
Seu Pio e sua gasolina podium.
Caminho para chegar ao S. Pio. Aquela ponte era muito lisa e balançava muito. Iso tudo embaixo de chuva, é claro

Penultima balsa antes de chegar a Manaus. 6:00 horas da manha

6 comentários:

Nairo disse...

Sabe dizer mais ou menos que KM o pessoal do EB está? Pois meu pai está saindo para realizar esta viagem também ! Nós já atravessamos a 319 em 2005 no mês de Novembro...Já começou a época das águas?

thiago disse...

Salve salve Vantuir, belíssima viagem, o pessoal do fórum xtzlander está te acompanhando pelo blog e te desejando sucesso na empreitada !

Forte Abraço !

(Calvin)

Peter Montax disse...

Vantuir,
Parabéns pela determminação. Sou mais um na torcida para que a sua viagem seja fantástica. E será!
Continue postando para que possamos "viajar" com vc.
Vc. não faz idéia de como isto faz bem pra gente.
Um grande abraço!

Ed Cotait disse...

Grande Vantuir!

DO POLO SUL AO POLO NORTE NUMA V STROM 1000 disse...

Grande Vantuir, muitíssimo obrigado meu amigo.....por nos manter informados com belas fotos e comentarios. Te admiro pela coragem....Fraterno abraço

https://www.expedicaotransamazonica.blogspot.com disse...

Nairo o pessoal do BEC de Boa Vista está exatamente no KM 532.
Um pouco antes há outro batalhao (uns 4 km) Mas onde encostei fo nesse que fica a esquerda de quem vai pra Manaus